Número

O AMBULATÓRIO NÚMERO, inaugurado em março de 2010, tem como principal objetivo oferecer atendimentos voltados para crianças e adolescentes com dificuldades de aprendizagem em matemática e portadores de síndromes genéticas.

No início de cada semestre, nos meses de março e agosto, o Ambulatório realiza, sob a forma de uma semana de triagem, atendimentos de todos os pacientes previamente cadastros durante o semestre anterior. Na triagem, são aplicados testes de inteligência e de desempenho escolar nos pacientes e entrevistas clínicas com os responsáveis pelas crianças/adolescentes. Todos recebem relatórios e encaminhamentos adequados às suspeitas levantadas, caso necessário.

As crianças que preenchem os critérios de inclusão são atendidas ao longo do semestre vigente pelos alunos de IC, pós-graduandos do LND e pelos alunos de estágio supervisionado do curso de Psicologia da UFMG. Ao final deste processo, a família recebe um novo relatório de avaliação neuropsicológica com hipótese diagnóstica, conduta sugerida, além de uma sessão de aconselhamento psicológico para melhor orientação aos pais.

O NÚMERO oferece ainda serviços de Reabilitação Neuropsicológica para as dificuldades matemáticas, bem como Treinamento de Pais para auxiliar os progenitores com o manejo de comportamentos inadequados das crianças/adoelescentes.

Todo semestre são triadas em torno de 75 crianças, 35 são avaliadas ao longo do semestre (25 selecionadas pela triagem e 10 já encaminhadas com diagnóstico de síndromes genéticas; p. ex. Síndrome de Williams, Síndrome de Turner) e 12 crianças passam pelos programas de intervenção.

O atendimento oferecido pelo Ambulatório é gratuito e aberto à comunidade, além de receber todas as pessoas que procuram por ele. Para participar da próxima triagem, entre em contato com o Laboratório de Neuropsicologia do Desenvolvimento.

Agendamento: via telefone 3409-6295

Endereço: Av. Antônio Carlos, 6627 – Pampulha – BH

Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas – Sala 2016

Um comentário sobre “Número

  1. Pingback: Ansiedade matemática: você sabia que existe? | LND

Os comentários estão desativados.